O que é o Facebook Watch?

Como está sua relação com seus fornecedores e parceiros?
agosto 3, 2018
#GasterIndica – Série Mr. Selfridge
novembro 10, 2018

Que o Facebook está em busca de ser a rede social mais usada no mundo, ninguém duvida. Mark Zuckerberg já comprou o Instagram, copiou o formato do Snapchat, está promovendo o Marketplace de uma forma parecida com a do Mercado Livre, está também oferecendo vagas nas páginas das empresas de uma forma que lembra o LinkedIn, além de várias outras coisas inspiradas em outras plataformas digitais. Desta vez, Mark pretende trazer o YouTube para a sua própria rede social.

Além de investir em atualizações para melhorar o engajamento dos vídeos e estimular o consumo nos usuários, o Facebook está lançando uma plataforma exclusiva para vídeos. O Facebook Watch é claramente inspirado no YouTube com uma grande pitada dos serviços de streaming, como a Netflix. Nesta plataforma, o usuário poderá interagir com seus amigos enquanto assiste programas originais completos, que os usuários só terão acesso pelo aplicativo.

A plataforma está sendo implantada aos poucos no mundo todo, por isso talvez você demore um pouco para poder acessar. A ideia, de acordo com Mark Zuckerberg, surgiu depois da empresa perceber que as pessoas gostam de descobrir vídeos em suas timelines, mas desejam também ter um espaço restrito ao formato de audiovisual.

 

De acordo com a divulgação, o Facebook Watch será dividido entre guias que irão facilitar o entendimento e sugerir ao usuário, vídeos que se adequam ao seus gostos e aos seus amigos, além de mostrar os vídeos das páginas que já segue no feed que conhecemos. Terão abas como “Mais comentados” e “O que está fazendo as pessoas rirem”, sendo que esse último estarão os vídeos que as pessoas mais reagiram com o “haha”, por exemplo.

Ainda serão oferecidos uma grande variedade de programas, desde comédias, romances, esportes e reality shows, até programas ao vivo, que poderão ser feitos por usuários do Facebook e também por profissionais da área, apresentadores já consagrados, atrizes e influenciadores digitais.

Um exemplo do boom que está para acontecer com esta nova plataforma é uma notícia, que saiu no mês de agosto de 2018, onde afirma que o Facebook comprou os direitos para poder transmitir os jogos da Libertadores a partir de 2019. O acordo com a Conmebol garante que a rede social terá exclusividade sobre a transmissão de 27 partidas, todas realizadas às quintas-feiras, e que serão mostradas para usuários residente nos dez países membros da Conmebol. Os outros 19 jogos serão transmitidos às terças ou quartas, ao mesmo tempo que passarão em diferentes redes de TV, mas, pelo Facebook, serão exibidos apenas nos países de língua espanhola.

Quer mais provas de que o Facebook pretende chegar com tudo para competir com o YouTube e a Netflix? Em alguns casos, a plataforma do Watch pretende já começar disponibilizando a opção do usuário monetizar seus vídeos, da mesma forma que já acontece no YouTube. A notícia ruim é que isso será implantado em apenas alguns casos no início, para testes, e somente em cinco países, sendo que o Brasil não está na lista.

Ansioso para experimentar o Facebook Watch? Além de poder baixar no Android e no iOS, a plataforma também poderá ser acessada pela Apple TV, Smart TV da Samsumg, Amazon Fire TV, Android TV, Xbox One e Oculus TV.