Porque sua empresa precisa ficar de olho no mundo geek?

#GasterIndica – Série Mr. Selfridge
novembro 10, 2018

Durante o primeiro fim de semana deste mês (6 a 9 de dezembro), aconteceu a 5ª edição da CCXP em São Paulo. Ao todo, foram 4 dias de evento e mais de 262 mil pessoas passando pela São Paulo Expo.

Desde o ano passado, o evento já era considerado o maior de cultura pop realizado no mundo, ultrapassando inclusive a San Diego Comic Con, que tem metade deste público, existe há quase 50 anos e é considerada a mais tradicional no ramo.

Em seu aniversário de 5 anos a CCXP se firmou no cenário pop mundial e os números são impressionantes. Foram mais de R$ 50 milhões faturados pelas lojas nos dias de evento, fora a previsão de 100 milhões investidas na capital paulistana durante estes mesmos dias, até porque, 50% do público era de fora da cidade.

O ingresso mais barato era de R$ 90,00 (meia-entrada para um dia específico no primeiro lote) e a alimentação em média foi de R$ 30,00 por refeição. Além disso, o ticket médio foi de R$ 300,00 por pessoa, sendo que os artigos mais caros eram os mais disputados e concorridos. Quer um exemplo? Teve gente que gastou R$ 12 mil em uma só manhã, e outro geek anônimo que comprou uma bola de tênis assinada pelo Stan Lee por R$ 25 mil.

Lojas como a Riachuelo, por exemplo, já tem uma sessão de produtos somente para o público geek fora da CCXP, com roupas para fãs de Harry Potter, Star Wars e muitos mais. Mas você conhece esse público e o poder de aquisição dele? Os grandes estúdios conhecem. A Disney, por exemplo, desembolsou 4 bilhões de dólares em 2012 na hora de comprar a franquia Star Wars da Lucas Film. O mais incrível é que o investimento tem retorno garantido, além do filme Despertar da Força (2015) ter conquistado a terceira maior bilheteria do cinema mundial, atrás apenas de Titanic e Avatar, o dinheiro que envolve filmes, colecionáveis e produtos licenciados ultrapassa a casa dos bilhões de dólares por ano.

O Brasil está entre os cinco países que mais consomem filmes de heróis no mundo e a empresa que prestar atenção neste público, dentro e fora de eventos como a CCXP, só tem a ganhar tanto financeiramente, quanto em reconhecimento de marca.